quinta-feira, 23 de abril de 2009

Viagem ao passado by Rita Nobre

Uma amiga enviou-me hoje um e-mail que eu vou partilhar aqui convosco. Afinal, é a recordação das coisas boas da nossa infância, numa selecção feita por ela. Confesso que há coisas das quais não me lembro, mas há outras que a simples memória me emocionou. Viagem connosco, pelas escolhas da Rita, e recordem. Boa viagem!

BELA viagem ao passado!!!!

...estava eu a pensar, quando, numa tempestade de ideias me lembro que antigamente este chocolate se chamava RAIDER. A PROVA!


Eis quando me começo a lembrar de COISAS... As pastilhas pretas que comprava (na velha) e comia às escondidas (porque diziam que tinham DROGA) quando andava na preparatória (com os pacotes grandes dava para encher a boca e fazer bolas do tamanho de casas)...


... com uma destas...


Claro que as melhores eram as gorila de laranja e as de morango...


... e os lindos flocos de neve...


... e as chiclets que roubava da mala da minha avó!


Petazetas que enchiam a boca e nos punham a rezar para que um daqueles bocados GRANDES não estalasse com muita força (e ficar de boca aberta, claro, caso contrário não se ouvia o barulho!)


Estes lembro-me que comia quando ia ao cinema. Os "diamantes" faziam salivar que se fartavam!


Cantávamos "suguinhos, suguinho, colam-se aos dentinhos!" (meter um de cada sabor na boca ! hmmmm!)


A bela "bomboca de morango", que ainda hoje, quando encontramos, compramos logo uns caixotes!


No lanche da primária, mas principalmente na praia; pegava na palhinha do capri-sonne DE MAÇÃ, e já com a mania que era rebelde, espetava-a na parte de baixo do pacote! YEAH!


E as festas? Lições 100? Havia sempre 1 que levava as tortas Dancake. Se fosse de chocolate era um instantinho a desaparecer, se fosse de morango demorava um bocadinho mais, mas também marchava, agora se fosse aquela de baunilha...


Qual mp3, quais gigas! As belas mixtape gravadas da rádio, ainda com restos da voz dos parvos dos apresentadores dos programas que insistiam em falar por cima da música!


E este? Quem teve? Era o delírio, com os discos de imagens. Eu não tinha muitas, mas as histórias que inventava com aquilo eram sempre diferentes.


eh pá! Tulicreme! E ainda antes de terem inventado o parvo do urso! O de cacau era maravilhoso, o de avelã bem podia ficar na prateleira do supermercado.


E estes? Lembram-se onde saíam? Cá era mais tou-te a ver! Ainda hoje uso muito e tenho-o colado na parte de trás da porta do meu quarto junto a uns autocolantes da pantera cor-de-rosa que saiam noutros bolinhos quadrados, cujo nome já me fugiu.


Tive um macaco destes. Tinha um buraco na boca e supostamente chuchava no dedo. Claro que o meu era muito mais giro. E não tinha este pescoço de indio com argolas para o esticar.


"Toma lá, e não gastes tudo em gomas!" - Ouvi muitas vezes também. Mais vale isso do que em vinho, que era o que ouvia o meu avô!


Atirávamos com isto para todo o lado. Até ficarem todos sujo, cheios de pêlos e cotões e pó e cabelos (sim, ficavam, não podem negar!) Mas era fantástico porque depois, só com um bocadinho de água e sabão, ficavam outra vez reluzentes e prontinhos para voltarmos a atirá-los aos móveis, ao tecto, ao chão, á cabeça dos nossos colegas...:P Era tão bom que nós punhamos os caloiros a fazer de pega-monstro às janelas da ESCS. Ou onde calhasse!


E as modas? Esta era mesma parva. E feia. Mas na mesma percorri kms para a encontrar e comprar. Tive pelo menos uma e divertia-me imenso a bater com ela em todo o lado. Até podia ser uma feia pulseira, mas era um belo chicote!


Este gajo a mim irritava-me."O sabichão"... Com a mania que era esperto! Comigo não se safou, que eu virei-lhe a vareta de modo a dar as respostas todas erradas. TOMA! Nunca tive este jogo, mas a minha prima tinha e eu amava. Tal como o Quem é Quem, o Operação, o Monópolio, os jogos do Spectrum e agora a PS3!!!


"Pró natal, o meu presente, eu quero que seja..." A minha agenda e o Natal. Isto só me faz lembrar o Natal dos Hospitais e de quanto eu queria pertencer ao Coro de Sto Amaro de Oeiras. Eu aos Onda Choque ou aos Ministars, que eu nunca fui esquisita.


Também tive uma destas. Saltei tanto com ela que de tanto roçar no chão, a bota ficou com uma boca... 1,2,3 diga lá outra vez!


Os estojos do poder. Com botões. Com compartimentos secretos para guardar as folhinhas e as borrachas de cheiro. Eram excelentes. Não faziam barulho como os estojos de lata, mas em comparação eram enormes. Eram mesmo bons para levar naquelas mochilas de 50 litros que nos fizeram escolioses múltiplas. Não me lembro destes. Mas lembro-me daqueles de plástico da CM da Amadora.


E no verão... o frigorífico cheio de fás, que nós chupávamos até o gelo ficar sem cor.


Bem, que viagem.

ps- os apontamentos em itálico são meus

5 comentários:

Dany Days disse...

Também recebi esse e-mail. Ai que saudades :)

New Radical disse...

Grande viagem, belas recordações

kiss for you

Vanita disse...

Adorei!!! Mas olha, em relação aos sugos cantávamos uma que era mais assim... "sugos de fruta, filhos da..."! Na província sempre fomos mais precoces :P

magui disse...

Fantastica esta viagem adorei

Magui

Lisbo@ disse...

Obrigada pela viagem ao passado :) Ainda guardo as minhas agendas eheh.